terça-feira, 28 de dezembro de 2010

ANO NOVO: DESEJOS SEM AÇÕES CONTINUAM SENDO APENAS DESEJOS

A comemoração do Ano Novo tem sua origem na Mesopotâmia, cerca de 2.000 anos a.C. Na Babilônia, a festa começava na ocasião da lua nova indicando o equinócio da primavera. Na antiguidade, os assírios, persas, fenícios e egípcios comemoravam o ano-novo no dia 23 de setembro – data em que hoje alguns países comemoram o dia do “orgulho pagão”. Já os gregos, celebravam o início de um novo ciclo entre os dias 21 ou 22 do mês de dezembro. Em 1582 a Igreja consolidou a comemoração, quando adotou o calendário gregoriano.  Foi o papa Gregório XIII quem instituiu o 1 de Janeiro como o primeiro dia do ano. Janeiro está associado ao Deus Romano JANUS, que significa “porta”, ou “portal” que marcava o rito de passagem, ou então, um fim de um antigo ciclo e o início de um novo. O deus Janus possuía duas faces, na qual se dizia que ao abrir a porta, uma face olhava para o passado e a outra para o futuro. Alguns povos e países comemoram o Ano Novo em datas diferentes.

Ainda hoje, na China, a festa da passagem do ano começa em fins de janeiro ou princípio de fevereiro.
Aqui para nós, o período de final de ano, é o momento das mudanças, todos se vestem de esperanças, como se a sua vida tivesse que ser decidida na virada do ano. Saímos pulando ondinhas, comendo sementes de romã, tomando sopinhas de lentilha, etc. Eu também faço isso, gosto de rituais,  o inconsciente coletivo tomado pelo desejo de mudança.
Só não podemos esquecer que todos esses rituais sem ação, não nos levarão a nenhuma mudança, e pior, muitas vezes nos levam a frustrações. Então junto com essa ritualística toda, é bom pegar um caderninho e começar a elaborar um projeto, mesmo que pequeno. Isso é difícil, já tentei várias vezes seguir um projeto, estabelecer metas tangíveis e não é fácil. Porém, só a ação de colocar isso no papel já traz mudanças em nosso padrão de pensamento. Importante é o desejo genuíno da mudança, sair das ondinhas de comemoração e celebrar de verdade, internamente. A real mudança é interna.

Ficar só no quero isso, quero aquilo, não vai trazer nada, tem que planejar e agir, entrar em sintonia com os desejos, daí sim a “abertura de caminhos” acontece. Quem trilha o caminho somos nós, e todo caminho é feito de escolhas, cada escolha exige uma ação que provoca uma reação. Simplificando: a direção de nossa vida está em nossas mãos. Vamos exorcizar nosso repertório de desculpas e assassinar nosso padrão de vítima. 
Já estou pensando no ritual que farei na virada, já as mudanças para o ano que vem, já começaram há um ano e meio atrás.
Que 2011 seja um ano de buscas, novos caminhos, encontros e reencontros. E que a sopa de lentilha seja saborosa.
Alexandre Malosti
Fontes:

10 comentários:

Lucimara Fernandes disse...

É isso aí, Ale! Só com planejamento e atitude atingiremos nossos objetivos! Um deles já estamos realizando, que é a consolidação deste nosso blog! O Ano Novo está chegando e com ele novos projetos! Que Deus abençoe nossa parceria e amizade!
E que 2011 seja um ano de renovações e conquistas para todos nós!
Feliz Ano Novo!
Parabéms pelo post!
Bjs

Alexandre Malosti disse...

Verdade Lú, mesmo com planejamento já é dificil, imagine sem.... Deixa a Vida me Levar, Vida Leva eu... isso só funciona para o Zeca Pagodinho. kkkk Esse blog já é um projeto realizado, está nascendo ainda... mas já começou a dar frutos... Mas vamos para o segundo, nossa viagem... kkkkk Beijo Grande e que 2011 te receba de braços abertos, por que os caminhos você que terá que abrir, nem que seja com facão. kkkk Beijos

Karina Lapido disse...

Oi Alê... muito legal o seu texto e está bem em linha com o meu, sobre Fé. Aliás, vou completar o meu texto com a frase: FÉ SEM AÇÃO É DESPERDÍCIO DE ENERGIA!!
Feliz Ano Novo para todos nós! Beijo, Karina

Luciano disse...

Realmente, a real mudança é interna, e a direção de nossa vida está em nossas mãos.
FELIZ ANO NOVO P/ NÓS!

Alexandre Malosti disse...

Legal Karina, perfeita a frase, vai enriquecer seu texto, que já está ótimo. Gosto muito dessa linha.... fé consciente. Beijos e parabéns...

Alexandre Malosti disse...

É isso ai Luciano... chega desse papo de vitima... de achar desculpa para tudo.. Vamos agir... Feliz Ano Novo

Carolina C Souza disse...

Muito bom o texto! Precisamos agir se queremos uma vida melhor.
Para que esperar a virada do ano se podemos começar uma mudança já?!

Bjs

Alexandre Malosti disse...

É isso Carolina... infelizmente nós estamos muito presos e condicionados a datas.... quer algo mais absurdo que a vida no Brasil só começa depois do Carnaval.. kkk e é assim que está no inconsciente da maioria... ações de empresas etc, todas são pensadas após essa data.... Mas a vida não tem calendário... ela simplesmente segue... Obrigado pelo comentário. Continue nos acompanhando... Beijos

tangram ana paula disse...

Vamos realmente assassinar nosso padrão de vitima que nos fazem ficar cegos a toda situação que nos cerca, por mais dolorosa que seja. Que 2011 venha ser um ano de conscientização e de real mudança para a Humanidade. Onde os normais fazem bombas e matam em nome de Deus! Que isso venha mudar!! vamos sair do ritual e entrar em ação, no pleno verbo de AGIR...e fazer a diferença!! Para nós, o ano já começou em 31 de outubro onde se é comemorado o Samhaim, onde abandonamos o velho homem, sem olhar para trás como O Janus aqui citado e seguir em frente. Olhando para o alvo de nova vida e mudanças. E que o velho homem deixado para trás permaneça no passado e busquemos o presente para um futuro melhor!

Alexandre Malosti disse...

Verdade Ana Paula, também gosto muito do mito de Janus citado no texto. É rico em simbolismo, uma face olhando para tras outra para frente. Temos que estar em movimento aqui e agora, não ficar presos analisando o que foi feito no passado, nme paralisar pensando no que será feito do futuro. Ação é agora, segundos se passam e o agora já é passado. Vamos agir a todo instante, construir, melhorar... Beijos