domingo, 19 de dezembro de 2010

NATAL: A verdadeira Origem

O Natal é tradicionalmente um festejo pagão, que foi incorporado ao cristianismo. Porém sua verdadeira origem é o culto ao Sol.

A celebração do Natal antecede o cristianismo em cerca de 2000 anos. Tudo começou com um antigo festival mesopotâmico que simbolizava a passagem de um ano para outro, o Zagmuk. A Mesopotâmia inspirou a cultura de muitos povos, mais tarde, através da Grécia, o costume alcançou os romanos, sendo absorvido pelo festival chamado Saturnalia (em homenagem a Saturno). A festa começava no dia 17 de dezembro e ia até o 1º de janeiro, comemorando o solstício do inverno. De acordo com seus cálculos, o dia 25 era a data em que o Sol se encontrava mais fraco, porém pronto para recomeçar a crescer e trazer vida às coisas da Terra.  A data acabou conhecida como o Dia do Nascimento do Sol Invicto.
A escolha da data 25/12 está associada à expansão dos cristãos entre os séculos I e IV d.C.. Nessa época, o cristianismo era uma religião periférica do Império Romano, enquanto os cultos solares aos deuses Apolo, Mitra e Hélio eram mais populares. Para associar a imagem de Jesus a esses Deuses, a Igreja estabeleceu fatores de sincretismo, entre eles, a comemoração do nascimento de Jesus tornou-se o Solstício (verão no Sul e inverno no Norte), que corretamente ocorre em 21/22 de dezembro, mas que no defeituoso calendário Juliano de Roma, acontecia dia 25.

Se pesquisarmos esse e outros temas, descobriremos como as informações nos chegam distorcidas. O que gostaria de despertar nos leitores mais uma vez é a consciência, o entendimento e o senso crítico.

Mesas fartas, presentes de um lado, fome e miséria no outro. Paz e harmonia disputam espaço com a violência e a guerra. Jogos de poder e interesses sempre em ascensão graças a nossa incapacidade de refletir, questionar e escolher.
Somos condicionados o tempo todo. Por que não somos fraternos os 365 dias do ano? Por que não ajudamos ao próximo nos 365 dias do ano? Será que  atos de bondade em datas específicas redimem nossa culpa? Nosso desprezo pelo próximo?  No dia 26 de dezembro tudo recomeça, a indiferença pelo outro, nosso egoísmo, enfim, voltamos a nossa rotina e a vivenciarmos tudo a que somos condicionados
Lembro que em minha infância esperava o Natal com ansiedade, meses de preparação para a comemoração, ótimas lembranças, mobilização e união.

Então apesar de um papai Noel comercial, dos símbolos distorcidos, desejo a todos um FELIZ NATAL, o sentimento que essa data nos desperta é válido. Que todos celebrem, confraternizem, elevem seu pensamento e que o senso critico desça pela chaminé ou apareça embaixo das árvores de natal. FELIZ NATAL!!! Ho ho ho
Alexandre Malosti

8 comentários:

Chris Tischer disse...

Alê,parabéns pelo artigo: instrutivo, esclarecedor, provocativo... todos precisam pensar a respeito e rever seus valores, tanto pessoais, como coletivos e religiosos. Bjks, Chris

Alexandre Malosti disse...

Ola Chris... eu gosto da comemoração, do sentimento. Mas a maioria das pessoas nem sabem o significado. Isso vale para tudo, não só para a origem do natal, serve para nossa historia, nossos políticos, etc. Beijo grande, obrigado pelo comentário... FELIZ NATAL...

Karina Lapido disse...

Esses dias eu comentava com uma amiga que é impressionante a quantidade de "confraternizações" para as quais somos convidados no final do ano. De uma hora pra outra, as pessoas descobrem que é legal estar junto, trocar ideias, conversar e parece até que têm alguma superstição de que se não fizerem isso em dezembro, começarão o ano com o pé esquerdo...

Alexandre Malosti disse...

Verdade Karina, chove convites no final do ano.. principalmente no ambiente corporativo. Eu não tenho muita paciência para isso... mas também acho válido.. no meio de uma reunião dessas as pessoas podem se conhecer melhor, quebar o gelo e até surgir uma amizade. Nossa rotina acaba nos isolando, e isso contribui de fato para unir as pessoas, promover encontros, etc... bom também. kkk Beijos

Diego Malosti disse...

tava vendo aquela foto dos africanos isso me dispertou um sentimento muito triste !!!pq no natal nois nao pensamos nos outros ? pq nao pensamos em ajudar os outros ? essa é uma pergunta muito simples! será pq nos somos egoistas ? td isso q vc falou no texto tem sentido de um lado é só amor paz e no outro lado é só Guerra, odio e sofrimento

Alexandre Parabens !!!

Feliz Natal !!!!

Adriano disse...

E' verdade que o Cristianismo pegou carona na festa pagã do culto ao Sol. Tanto que algumas denominações evangélicas mais conservadoras ate' já chegaram ao ponto de não participar das celebrações de Natal - o que eu pessoalmente considero um equivoco. A celebração do Natal e' hoje parte importante do Cristianismo, independente de suas raízes pagãs. Sem duvidas a comercialização do Natal e' ridícula, mas creio que o fato de que tiramos um dia de 365 para expressar coisas boas e positivas e' muito importante. Nessa época, as pessoas estão mais dispostas a relevar e ate' mesmo perdoar... reconciliar - e isto faz bem, tanto para quem da' como para quem recebe!

Alexandre Malosti disse...

Verdade Diego, mas não podemos ser negativos, pelo contrário, apesar de que acontece, das guerras, sofrimento, temos que elevar nosso pensamento, pensar positivo e expressar o que há de melhor em nós. Só assim esse padrão muda. Não sou espírita, mas a evolução das pessoas é inquestionável e o mínimo que podemos fazer nesse mundo é ser melhor a cada dia. Abraços.

Alexandre Malosti disse...

Oi Adriano, tudo bem... Com certeza as intenções e o comportamento das pessoas muda nessa época, isso sem dúvida é válido, mesmo que seja um dia... assim quem nunca provou um pouco de carinho, solidariedade pode se acostumar e trazer isso para sua rotina. Quanto a origem pagã é relatar a historia... acho que a fé consciente pode promover mudanças maiores, do que a fé cega.... Feliz Natal .. e obrigado pelo comentário... Abraços