domingo, 12 de agosto de 2012

ESCOLHAS SÃO DIFÍCEIS, MAS NÃO SEMPRE!


Escolhas são difíceis, mas não sempre!
Pior que elas, apenas a impossibilidade de não poder ou de não permitir-se fazê-las.
Estou no início de um processo de mudanças, onde optei por abrir mão de uma suposta estabilidade, do salário no final do mês e da ocupação do tempo.
Na real eu “forcei a barra” para que isso acontecesse. A falta de sentido no que estava fazendo, estar onde não queria, ser controlado por horários, entre outras coisas, me fizeram chutar o balde e correr riscos.
 Sem ter feito muito planejamento, imaginei que ficaria parado imaginando o que iria fazer. Mas nessa transição, as oportunidades foram me atropelando e comecei a desenvolver atividades extremamente diversas, contrárias ao meu cotidiano até então.
Estou me aventurando nas artes gráficas, dando aulas de cerâmica e continuando o trabalho como ceramista que já vinha desenvolvendo em paralelo.  Ainda nem recebi a primeira parcela do famoso seguro desemprego, mas já fiz alguns trabalhos gráficos, buscando novos clientes e dando aulas para professores de artes. Tudo com calma, sem estar estressado, apenas deixando fluir.
Não sei onde nada disso irá me levar, mas o que importa é que as coisas estão acontecendo, embora inseguro, estou tendo uma clareza de ideias que não tinha antes. Vontade de prosseguir, motivado e muito consciente de que nem tudo será fácil. Terei que abrir mão de coisas, mas ganharei outras.
Relatei tudo isso, não para falar apenas do momento que estou vivendo, mas principalmente para propor uma reflexão da vida que estamos levando. O discurso de reféns do sistema já está cansativo. Frases como “preciso trabalhar”, “não sei fazer outra coisa”, “quem vai pagar minhas contas” e por ai vai, estão servindo para justificar esse aprisionamento provocado por nós mesmos.
Mesmo que não sigamos os caminhos desejados, temos que no mínimo saber quais poderiam ser. Sair dessa mecanicidade diária e nos ouvir.
A vida é real, as contas também, o sistema é perverso, etc. Mas e nós? O que queremos realmente? Que tipo de vida queremos levar? Falta coragem? Percepção de si mesmo?
Não sei! Deixo apenas essas perguntas para reflexão. 

Alexandre Malosti

13 comentários:

MÁRCIO VACCARI disse...

Instigar é preciso.Belo texto. Grande abraço, meu irmão.

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Valeu Márcio... Abração to esperando a cerveja... té mais.

Lucimara Fernandes disse...

Ale, parabéns!
Ainda me falta coragem para fazer o que você fez... Acho que ainda continuo refém do sistema... Mas acredito que tudo tem a sua hora e que a minha ainda há de chegar!! Só torço para que chegue logo... rs.
Bjs e boa sorte!

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Lucimara, vai chegar.. nem sei se a minha chegou risos.... Não sei no que vai dar... Mas é isso, vamos trilhando caminhos, se for preciso voltamos atras.. .e depois pra frente e assim vamos indo... Beijos

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Unknown disse...

Uma bela reflexão Lê, mais uma vez, parabéns pelas escolhas e por saber transformar seus momentos.Beijos da Jacque.

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Obrigado Jacqueline.... e vc é muita mais experiente que eu... tratando de escolhas..... um caminho dificil como sabemos.. o que importa é trilhar.. seguir.... Beijos e saudades... anda muito sumida...

Daniele Andrade disse...

você não sabe, mas essa sua reflexão veio super a calhar!!estou passando por um momento parecido na minha vida e concordo com vc...viver refem do sistema eh algo mais opcional do que se imagina...e libertar-se dele eh no minimo inspirador!acho que agora sim o mundo está realmente começando a fazer sentido....abração!

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Oi Dani.. que bom receber um comentario seu aqui.... essas escolhas são complicadas... somos criados para andar na linha.. mas que linha é essa? a quem interessa? .... tomar que muita gente desperte.... Beijos e sucesso no seu caminho... tenho que certeza que vai estourar e se dar bem.. beijos

Teresa Bendini disse...

Temos um compromisso com nossa essência. Aliás foi ela que fez você tomar essa importante decisão. Há um versículo bíblico que diz: "Todas as coisas colaboram para o Bem daqueles que amam à Deus" Se pensarmos em Deus como sendo essa essência, ou seja, esse espaço onde nossa luz, criatividade, autenticidade se derramam em forma de beleza e generosidade para o mundo, então fica evidente que você agora libertou sua luminosidade e todas as coisas estarão à serviço dessa sua grandiosa oferta. Forte abraço.

Marcella Barbosa disse...

Texto perfeito para se criar reflexões intimas que com certeza farão novas ideias surtirem o efeito esperado pelo ciclo da vida - que está sempre em mudança.

Parabéns!

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Teresa super obrigado pelo comentario, sempre lúcida e cheia de sabedoria. Abraços

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Marcela fico feliz de ter conseguido despertar para essas reflexões. Obrigado pelo comentario. Abraços