domingo, 2 de setembro de 2012

CORTINAS DA ILUSÃO



Recordo-me de quando li há muitos anos atrás o livro Isis sem véu, da Blavastsky. Tinha uns 22 anos e comecei a aprender a ver o que estava por trás das “coisas”, a ler nas entrelinhas e contemplar a possibilidade de um pequeno despertar dentro desse sonho ilusório que é nossa vida. Hoje depois de quase 20 anos, tive um pequeno momento de lucidez.

Observei que minha ansiedade em conseguir resultados estava sobrepondo e matando o prazer que me movia dentro de alguns fazeres como os poemas, a cerâmica e outras atividades dentro das quais eu consigo ter momentos de plenitude.

Estava gastando muita energia em buscas desnecessárias, os resultados alcançados, por maiores que fossem naquele instante, na verdade são medíocres  se comparados ao simples ato do fazer. Sou grato aos resultados e ao que consegui até agora dentro dessas áreas que considerava marginais na minha vida. Porém, essa ansiedade por resultados também trouxe frustrações, desentendimentos, concorrências desnecessárias e grandes equívocos.

Por sorte, a ficha caiu e entendi que nenhum resultado pode sobrepor a minha verdade e o meu prazer de simplesmente criar.

Nesse instante, um pouco mais lúcido, vou seguir criando e os resultados terão que vir por consequência e não por ânsia de busca.
Retirem os véus, o melhor está sob as cortinas da ilusão. 

Alexandre Malosti

6 comentários:

cimatti disse...

Também tenho pensado assim malosti.

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

É Cimatti eu acordei pra isso só agora.... E dá um alivio em saber que não nos perdemos nesses fazeres. O importante é a essência que nos move a isso, as outras coisas passam e vemos que são enormes bobagens egoicas... Abraços

Lucimara Fernandes disse...

Ale,
Você não imagina o quanto eu fico feliz por você por esta descoberta! Parabéns, meu amigo! O sucesso é uma questão de tempo, já o talento em criar é um prazer instantâneo!
Um grande beijo!

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Verdade Lu.... e esse pretenso sucesso é totalmente ilusório... a capacidade de criar e expressar é muito mais valiosa e está acima de qualquer holofote... beijos

Jacqueline Mattos disse...

Lê, sempre acreditei que o brilho mais intenso nem sempre está no palco, mas, sim na essência do espetáculo!! Parabéns pela nova fase. beijos da Jacque.

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Jacqueline beijos .... nessa fase não estou contra estar no palco mas concordo que a essencia do espetáculo é o que realmente importa. Espero estar em outros palcos, mas sem ansiedade, sem neuroses ao meu lado, apenas que o caminho seja traquilo e flua da melhor forma possível.. Beijos e mais beijos.. obrigado por comentar...