domingo, 14 de outubro de 2012

SOLTANDO AS AMARRAS



Eis o senhor ansiedade que vos fala.

Ela é pegajosa, gruda, nos incomoda e nos sufoca. Queremos fazer isso, aquilo e mais um pouco, além do desejo de resultados que acompanha todo o processo.

Mas pare e respire.

Na busca do que acreditamos, ficamos tão sufocados que não deixamos a vida fluir, existe um fluxo. Ele pode ser notado nos contatos inesperados, nos encontros não combinados e nos projetos não planejados. Acontecem de um bate papo sem propósitos, de indicação de amigos e desconhecidos.

A mente trabalhando incessantemente pode nos aprisionar em nossas limitações quando agimos individualmente, ignorando o fluxo que segue natural e calmo. Criamos uma armadura a nossa volta e expelimos possibilidades. Vestidos da ansiedade, perdemos nossa atração, deixamos de exercer nosso magnetismo e repelimos situações que podem viabilizar nossos desejos.

Ter foco é essencial, mas não podemos cegar por conta dele. Ao contrário, devemos estar abertos sem aquele aperto no peito que restringe nossas ações.

Vamos respirar fundo, de peito aberto, receptíveis, acolhedores, ouvindo e vendo o que acontece, tirando as amarras da ansiedade.

Vamos soltar as amarras e seguir o fluxo.
É o senhor ansiedade que vos fala.

Alexandre Malosti 

3 comentários:

Marli disse...

Oi Ale,

Super legal seu texto. Estava inspirado, hein? "Criamos uma armadura a nossa volta e expelimos possibilidades." Isso é verdade na minha vida.
Vc também tem razão, muitas vezes idéias e projetos nascem em simples bate papo. Minha idéia de passar dois anos num navio surgiu de repente em conversa com desconhecidos.

Alexandre Malosti disse...

Oi Marli.... é verdade..... com o passar dos anos vamos aprendendo.... a deixar o fluxo da vida seguir seu caminho.... e contatos são as melhores possibilidades, principalmente aqueles que acontecem sem planejarmos, aparecem do nada.. Beijos e obrigado pelo comentário...

MÁRCIO VACCARI disse...

Tudo bem, Alexandre? Preciso de um tempo para digerir esse insgante texto. Grande abraço.