domingo, 10 de junho de 2012

LONGE DA FLECHA


Queima
Chama sem movimento
hiberna
Cumplicidade
Ainda que embrionária
Pulsa
A caça diverte-se
longe da flecha
Protegida pelo vento
sem mira certa
Digitais no solo
Codificam o caminho
Rapina paciente
Espreita

Alexandre Malosti

6 comentários:

Regina disse...

Muito muito bom!! Vc tbm mandou bem
Bjão

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

Obrigado Regina.... estava meio seco de poema.... sem escrever ha algum tempo... Beijos

Anônimo disse...

" A caça diverte-se longe da flexa."
Versos perfeitos, metáfora muito bem colocada. Somos assim mesmo, covardes, traiçoeiros e muito mais.
Parabéns!
André Bianc

ALEXANDRE WAGNER MALOSTI disse...

kkkk André... essa é a fantástica possibilidade do poema.. a releitura.... a intenção não foi essa .. mas pode ser também.. do ponto de vista de cada leitor.... Valeu.. abraço e obrigado pelo comentário....

MÁRCIO VACCARI disse...

Tú andas inspirado. Grande abraço.

Anônimo disse...

Sempre meu amigo Márcio Vaccari.... temos que tirar até da desgraça algo inspirador. kkkk Abraços e saudades de vo... Valeu pela visita...